Skip to content

Esposa de prefeito cassado é eleita no RN

01/03/2009

Sete municípios brasileiros elegeram novos prefeitos hoje, após determinação do TRE. Os processos de impugnação de candidatura aconteceram em bem mais que sete municípios, mas dizem que assim faz a justiça: tarda mas não falha.

A cidade de Jundiaí, interior de São Paulo, teve seu capítulo nessa novela com 7 processos de cassação da candidatura do prefeito eleito Miguel Haddad (PSDB). Entre os processos, consta acusação de abuso de poder econômico. A boa e velha compra de votos. As eleições em Jundiaí não foram reconvocadas, apesar de muito anunciadas e revogadas.

Em Jundiaí o caso é outro, o partido do prefeito está no poder há quatro gestões. Dificilmente vão retirá-lo de lá, apesar da dificuldade em vencer esse último pleito, com diferença menor que 1% dos votos válidos.

Curioso mesmo foi o que ocorreu na cidade de Patu, interior do Rio Grande do Norte, que dista 300 Km da capital do estado, Natal. O prefeito eleito, Ednardo Moura (PSB), foi mesmo cassado por problemas com o Tribunal de Contas da União. Novas eleições apuradas neste dia 1 de março levaram Evilásia Gildênia de Oliveira (PSB) ao poder com 290 votos de diferença do segundo colocado. Esqueci de mencionar: Evilásia é esposa do prefeito cassado.

O blog de um morador da cidade noticiou que durante o pleito em Patu, quatro pessoas foram presas. Uma delas, Evandro Moura, coincidentemente com o mesmo sobrenome do prefeito cassado, comprava votos para a candidata do PSB. As outras três foram presas por vender seus votos a Evandro.

O limbo ético em que se encontra a política nacional invalida até as tentativas mais nobres de estabelecimento da transparência. A cegueira da população se soma à certeza de impunidade dos criminosos.

A impressão é de que os que poderiam criticar essa situação de maneira mais qualificada — os políticos dos partidos ditos de esquerda — ou não sabem o que fazer ou se fazem de desentendidos.

Conversei, no último dia 28 de fevereiro, com o ex-candidato à prefeitura de Jundiaí, Gerson Sartori (PT) a respeito dos processos contra o atual prefeito, Miguel Haddad. Sartori me disse que acredita que Haddad deixe o cargo ainda este ano e citou as novas eleições que aconteceriam em sete cidades do país como prova da efetividade do papel do TRE. Esqueceu-se que o prefeito de Patu pertencia a uma coligação na qual o PT, partido de Sartori, fazia parte e se manteve apoiando mesmo após a cassação.

Ou é o império da falta de senso apoiado pela apatia popular, ou estou anacrônico e deslocado me indignando por esporte.

Anúncios
One Comment leave one →
  1. William Oliveira permalink
    06/03/2009 4:09 pm

    Como é, não vamos mais escrever aqui?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s